De Dietrich
De Dietrich


327 ANOS DE HISTÓRIA

INÍCIO DA MARCA DE DIETRICH

A história da família De Dietrich começa em Jaegerthal, num vale a norte de Estrasburgo, quando em 1684 um rico banqueiro, Johann Dietrich, investiu na indústria do aço, comprou uma forja em ruínas, reconstruiu e iniciou a produção de ferro e aço para a produção de ferramentas e armas, mais tarde também para peças de canhões. O início da sua actividade coincidiu com a procura de canhões, balas de canhão e de armas na França daquela época. Com o acordo do rei Luís XIV, Johann iniciou a produção de bens relacionados com a defesa do país. Desde então a empresa pertencente à família Dietrich transformou-se numa das empresas mais poderosas do sector metalúrgico.

Em 1761, Jean Dietrich, filho de Johann, foi condecorado pelo Rei Luís XV e foi-lhe  dado o nome de Jean De Dietrich. Como naquela época um nobre não podia trabalhar na banca, ele decidiu participar activamente dos negócios da família. Após a compra e desenvolvimento de algumas fábricas, a família, Dietrich, começou a ser conhecida como "mestres da forja do ferro".

O poder da marca foi crescendo e os problemas começaram a surgir. Devido à grande qualidade dos produtos De Dietrich e ao reconhecimento que estes já tinham em toda a Europa, copiá-los tornou-se cada vez mais comum. Para proteger os bens da empresa e evitar esta tendência, o Rei Luís XVI concedeu Jean de Dietrich a utilização exclusiva de uma marca (uma insígnia em forma de corneta de caça). Desde então, todos os produtos são identificados com o logotipo: corneta de caça.

DIETRICH e a Marselhesa "

Na véspera da Revolução Francesa, Jean de Dietrich III já possuía a maior e, ao mesmo tempo, única, fábrica industrial significativa em França.  Deu emprego a 1500 trabalhadores tornando-se o maior empresário da região da Alsácia. Chegou a ser chamado de "King of Steel". Ao filho de Jean, Philippe Frédéric, foi concedido o titulo de membro da "Academy of Sciences" e nomeado responsável pelo desenvolvimento industrial da França por Louis XVI.

O Barão de Dietrich, o prefeito de Estrasburgo, encomendou a Claude Rouget de Lisle uma marcha militar para os soldados do Exército do Reno. A música foi cantada pela primeira vez no casamento da filha do Barão de Dietrich. A "Marselhesa", esta mais tarde tornou-se no hino nacional de França.
Entretanto, Philippe Frédéric de Dietrich escolheu "o lado errado da revolução", insurgiu contra o governo, e foi detido pelo exército de Robespierre. Foi executado na guilhotina em 29 de Dezembro de 1793.

20101103090330